ESCLEROSE MÚLTIPLA – UMA ABORDAGEM INTEGRATIVA

Esclerose Multipla

A Esclerose Múltipla [EM] afeta aproximadamente 400.000 pessoas nos EUA e 2,5 milhões no mundo, sendo a maioria adultos jovens.

É uma doença de caráter geralmente progressivo, na qual a inflamação e a desmielinização da substância branca do sistema nervoso central resulta em vários sinais e sintomas neurológicos. Após 10 anos do início dos sintomas, cerca de 50% dos pacientes poderão estar incapacitados para suas  atividades profissionais e domésticas.

COMO SE DÁ A SUA EVOLUÇÃO?

A evolução da EM é extremamente variável e imprevisível. Identificam-se dois cursos bem distintos da EM:

  1. Curso remitente/recorrente: mais comum no adulto jovem, onde os sintomas e sinais neurológicos são transitórios, sendo imprevisível o momento e a característica do próximo surto. Esse curso é mais comum, observado em cerca de 85% dos pacientes;
  2. Curso progressivo:, no qual os sintomas e sinais neurológicos instalados vão se intensificando progressivamente, sem remissão. O quadro neurológico geralmente  apresenta comprometimento motor [sistema piramidal e/ou cerebelar] e manifesta-se mais freqüente após os 40 anos.

Esclerose Multipla 3

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO?

Os critérios para o diagnóstico da EM são clínicos:

  1. História clínica para caracterizar a presença dos surtos(dois surtos separados de pelo menos 1 mês);
  2. Exame neurológico revelando duas lesões distintas, em diferentes níveis topográficos da substância branca do SNC para estabelecer correspondência entre os surtos e a estrutura do SNC lesada;
  3. Exames laboratoriais representados por pesquisa de bandas oligoclonais nas imunoglobulinas do LCR e estudo da imagem do encéfalo e medula espinhal por ressonância magnética [EM laboratorialmente definida].

BAINHA DE MIELINA-IMPORTÂNCIA:

Esclerose Multipla 2

A bainha de mielina é uma membrana celular modificada que envolve os axônios dos neurônios de uma forma em espiral. Ela se origina das células de Schwann no Sistema Nervoso Periférico [SNP] e das células da glia chamada oligodendrócitos no Sistema Nervoso Central [SNC]. As interrupções periódicas  onde curtas porções do axônio são deixadas descobertas pela mielina são os chamados nodos de Ranvier.

MAS PARA QUE SERVE A MIELINA?

A mielina funciona como se fosse um isolante elétrico. Sua função é facilitar a condução nos axônios de forma muito mais rápida e com menos gasto de energia do que nas fibras não mielinizadas graças aos nódos de Ranvier [condução saltatória].

DE ONDE VEM ESSES NUTRIENTES NECESSÁRIOS PARA COMPOR A MIELINA?

Os nutrientes que compõem a bainha de mielina provém do sistema digestório através da digestão dos alimentos e da absorção dos nutrientes. Outro sistema importante é o respiratório que capta oxigênio e elimina gás carbônico.

TRATAMENTO

A EM é doença autoimune com pobre resposta clínica aos imunossupressores. A introdução recente de imunomoduladores como o interferon beta produziu diminuição da freqüência e severidade das recidivas e  da progressão da doença em alguns pacientes ambulatoriais, portadores da forma “surto-remissão”: tanto o interferon beta 1a como o beta 1b diminuem a freqüência dos surtos segundo os trabalhos clínicos.  

ABORDAGEM INTEGRATIVA NA ESCLEROSE MÚLTIPLA

Esclerose Multipla 4

A EM é uma doença autoimune na qual o nervo é danificado, frequentemente leva a sintomas debilitantes tais como fadiga, dormências e prejuízo da fala, visão, cognição, humor e músculos.

A Dra. Terry Wahls foi diagnosticada com EM em 2000. Em 2003 já estava usando cadeira de rodas devido à progressão da doença. Em 2007 iniciou o tratamento com a abordagem da Medicina Funcional [vide artigo nesse site] e adotou a dieta Paleo  além de vitaminas, minerais e  suplementos importantes no seu caso. Teve sucesso nessa terapêutica  como descreve no seu livro “The Whals Protocol”.

O Dr.Mark Hyman, medico americano especialista em Medicina Funcional, dá algumas dicas resumidamente  de como lidar com condições autoimunes tais como a EM:

  1. Orientação de alimentos com ação antiinflamatória incluindo ervas com essa ação.
  2. Eliminar alimentos refinados;
  3. Checar infecções ocultas causadas por fungos, vírus, bactérias e Doença de Lyme;
  4. Checar alergias alimentares ocultas;
  5. Investigar intoxicação por metais tóxicos que podem ocasionar autoimunidade;
  6. Checar deficiências de nutrientes importantes para os nervos e cérebro;
  7. Otimizar a digestão de alimentos, a absorção de nutrientes, adequar a microbiota intestinal [já que 60 a 70% do sistema imune repousa sob a camada de células intestinais. Se essa camada de células for danificada [Leaky Gut], o sistema imune pode ser ativado e começar a reagir a alimentos, toxinas e a microbiota intestinal];
  8. Exercitar-se regularmente;
  9. Praticar relaxamento profundo porque o estresse prejudica a performance do sistema imune;
  10. Dormir 8 horas toda noite e fazer a siesta de 20 a 30 minutos após o almoço. A falta de sono ou sono irregular  prejudica a regeneração dos tecidos, o sistema imune, altera o metabolismo dentre muitas outras coisas.

O QUE FAZEMOS NA CLÍNICA COMO SUPORTE A ESCLEROSE MÚLTIPLA ?

 Utilizamos em nossa clínica:

  1. Uma orientaçao alimentar anti-inflamatória, anti-alergênica e desintoxicante individualizado baseado nos exames laboratoriais;
  2. Adequação da digestão dos alimentos e da absorção dos nutrientes usando o Programa dos 5Rs na regulação do eixo intestino-cérebro;
  3. Fórmulas magistrais chinesas no combate ao estresse, a ansiedade, a depressão, a irritação e a melhora dos sintomas de dor e dormencia;
  4. Fórmulas com vitaminas e minerais, aminoácidos para repor os nutrientes depletados e otimizar neurotransmissores e a bainha de mielina;
  5. Suplementos tais como ômega 3, cúrcuma, resveratrol e os específicos para o quadro clínico;
  6. Acupuntura [vide neste site: “Acupuntura: indicações”] no alivio do estresse, da dor, para ajudar no sono, dos sintomas neurologicos;
  7. Tratamento psicoterápicopara insônia, ansiedade, depressão, de traumas, fobias dentre outras baseado nas mais modernas descobertas de como o cérebro funciona e dos impactos sobre ele que repercutem em nossa saúde mental- EMDR [vide nesse site o artigo: “EMDR- uma psicoterapia revolucionária”];
  8. Adequação do sono [vide artigo nesse site: “Por que nós dormimos?” e “Insônia- como melhorar o sono, o humor e a vitalidade”];
  9. Associada a essas terapias trabalhamos também as questões sobre o sentido e proposito de vida [Vide neste site o artigo: “Uma visão completa e prática do que é ter sentido na vida”]

Agende já sua consulta através do e-mail: clinica.medin88@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s