VOCÊ SABE A DIFERENÇA ENTRE OS TIPOS DE DIETAS VEGETARIANAS?

MAS O QUE É SER VEGETARIANO?

Segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira, “é considerado vegetariano todo aquele que exclui de sua alimentação todos os tipos de carne, aves e peixes e seus derivados, podendo ou não utilizar laticínios ou ovos. O vegetarianismo inclui o veganismo, que é a prática de não utilizar produtos oriundos do reino animal para nenhum fim [alimentar, higiênico, de vestuário etc.]. “

QUAIS AS RAZÕES QUE LEVAM UMA PESSOA A SE TORNAR VEGETARIANA?

RAZÃO JUSTIFICATIVAS
1.ÉTICA ·      Os animais têm os mesmos direitos à vida que os seres humanos e à preservação contra o sofrimento
·      Pelo código de ética de algumas religiões tais como os hindus e os adventistas
2.SAÚDE ·      Por considerarem que a alimentação sem carne traz benefícios à saúde
3.AMBIENTAL ·      Pela consciência de que a criação industrial de animais traz de impacto ambiental negativo tais como a devastação de florestas, desertificação do solo, poluição de mananciais de água dentre outros

QUAIS SÃO OS DIFERENTES TIPOS DE DIETAS VEGETARIANAS?

O indivíduo que segue a dieta vegetariana pode ser classificado de acordo com o consumo de subprodutos animais [ovos e laticínios]:

– Ovolactovegetariano é o vegetariano que utiliza ovos, leite e laticínios na alimentação.

– Lactovegetariano é o vegetariano que não utiliza ovos, mas faz uso de leite e laticínios.

– Ovovegetariano é o vegetariano que não utiliza laticínios mas consome ovos.

– Vegetariano estrito é o vegetariano que não utiliza nenhum derivado animal na sua alimentação. É também conhecido como vegetariano puro.

– Vegano é o indivíduo vegetariano estrito que recusa o uso de componentes animais não alimentícios, como vestimentas de couro, lã e seda, assim como produtos testados em animais.

Ainda tem os vegetarianos denominados Crudivoristas que são aqueles que utilizam apenas alimentos crus.

Vegetarismo

NÃO CONFUNDA VEGETARIANOS COM:

Encontramos, na literatura científica, o termo SEMIVEGETARIANO para designar o indivíduo que come carne branca até 3 vezes por semana. Esse indivíduo consome carne em quantidade menor que o onívoro, mas não é vegetariano.

DIETA MACROBIÓTICA, uma forma de alimentação que pode ou não ser vegetariana. O macrobiótico tem um tipo de alimentação específica, baseada em cereais integrais, com um sistema filosófico de vida bastante peculiar e característico.  A proporção dos grupos alimentares seguem diversos níveis, podendo ou não incluir as carnes [geralmente brancas]. A macrobiótica não recomenda o uso de leite, laticínios e ovos.

Os ONÍVOROS são os indivíduos que comem qualquer tipo de alimento.

A DIETA VEGETARIANA É ADEQUADA NUTRICIONALMENTE?

É segura desde que planejada nutricionalmente [macronutrientes e micronutrientes] assim como deve ser com qualquer dieta com ou sem carne.

Devem ser levadas em consideração as necessidades das fases de cada ciclo de vida [infância, adolescência, adulto, idoso, gestantes, lactantes] além dos períodos de situações especiais [doenças, cirurgias…].

As dietas ovolacto e lactovegetariana fornecem todos os nutrientes necessários ao organismo humano. A dieta vegetariana estrita não apresenta fontes nutricionais de vitamina B12, que devem ser obtidas por meio de alimentos enriquecidos ou suplementos.

Os nutrientes que exigem atenção na prescrição do cardápio para o ovolactovegetariano são ferro, zinco, e ômega-3. Na dieta vegetariana estrita também deve se dar atenção à vitamina B12 e ao cálcio.

Deve-se ter o cuidado com a biodisponibilidade dos nutrientes tanto na dieta vegetariana quanto na onívora.

MAS O QUE SIGNIFICA BIODISPONIBILIDADE DE UM NUTRIENTE?

Diz respeito a quanto vamos absorver e utilizar os nutrientes disponíveis nos alimentos.

Isso varia de acordo com as interações que esse nutriente vai sofrer, com substâncias [como medicamentos] e até com outros nutrientes. Essas interações podem aumentar ou diminuir a biodisponibilidade dos nutrientes.

Exemplos clássicos são:

  1. Para melhorar a biodisponibilidade do ferro na dieta: recomenda-se associar alimentos ricos em vitamina C, ácidos orgânicos e betacaroteno. Ex: folhas verdes temperadas com limão e cenoura ralada;
  2. Melhorar a absorção dos nutrientes: é importante manter uma flora colônica acidófila. Ex: uso de probióticos adequados para cada paciente;
  3. Para reduzir fatores antinutricionais na absorção dos nutrientes: redução do teor de ácido fítico dos alimentos. Ex: deixar as leguminosas [feijões, lentilhas, ervilhas, grão de bico] de molho antes do preparo;
  4. Evitar nas refeições ricas em ferro, alimentos com alto teor de cálcio, caseinofosfopeptídeos e polifenóis, pois eles competem entre si na absorção;
  5. Uso de alimentos ricos em vitamina C para otimizar a absorção de zinco.

Além de evitar o consumo de caseína, de cálcio, de ácido fítico que inibem a absorção do zinco.

6 BENEFÍCIOS DE UMA DIETA VEGETARIANA

À base de alimentos frescos e orgânicos.

  1. Alta em antioxidantes, vitaminas, minerais e fibras: quase todos os alimentos plant-based [a base de plantas] oferecem grandes quantidades de antioxidantes e fitonutrientes [flavonoides, resveratrol, quercetina, betacaroteno, etc.] além de vitaminas e minerais e fibras;
  2. Auxilia na saúde cardiovascular: os alimentos plant-based têm propriedades anti-inflamatórias;
  3. Pode ajudar na perda de peso;
  4. Fornece enzimas digestivas: que auxiliam a digestão;
  5. Elimina aditivos e outras substâncias [presentes ou geradas na cocção] de carnes;
  6. É sustentável e útil para o meio ambiente.

 PRECAUÇÕES EM DIETAS VEGETARIANAS

  1. Potencial falta de aminoácidos: quando a composição de proteínas da dieta está inadequada;
  2. Baixos níveis de vitamina B12: na dieta vegetariana estrita se não houver suplementação com a vitamina B12;
  3. Altas quantidades de ácido fítico: que é considerado um antinutriente porque atrapalha a absorção de outros nutrientes. O hábito de colocar leguminosas [feijões, lentilhas, grão de bico e ervilha], sementes e castanhas de molho e/ou brotados reduzem o ácido fítico;
  4. Consumo excessivo de carboidratos e de açúcar: o que pode levar a supercrescimento de fungos no intestino. Nada que um planejamento adequado de dieta não possa resolver;
  5. Fadiga e baixa energia: pode ser devido a deficiência de algumas vitaminas e minerais devido a um planejamento inadequado ou problemas na absorção;
  6. Potencial inabilidade para ganhar musculo: desde que o planejamento da composição da dieta e dos suplementos não esteja atendendo a necessidade do individuo ou por outros fatores não relacionados à dieta e que precisam ser investigados.

Lembrando ainda que a água compõe cerca de 50 a 60% do nosso corpo. Temos que usar água de boa qualidade. Vide artigo nesse site: “As surpreendentes verdades que ninguém nunca te contou sobre a água que você bebe”

Mas sabemos que a nossa saúde não depende apenas do que ingerimos, mas também de como está a digestão desses alimentos  e a absorção dos nutrientes dos alimentos ingeridos.

Não somos apenas o que ingerimos, MAS o que Digerimos e Absorvemos. Todo o restante do organismo recebe os nutrientes provenientes do trato digestório e do trato respiratório [oxigênio].

Por isso, procure um profissional da área para solicitar os exames laboratoriais e verificar as suas deficiências e otimizar ingesta e suplementaçao de Macronutrientes [carboidratos, proteínas e lipídeos], de Micronutrientes [vitaminas, minerais, fibras], além de orientar quanto a composição da dieta dependendo das necessidades do seu organismo no momento.

Vegetarismo 2

O QUE FAZEMOS NA CLÍNICA COMO SUPORTE À DIETA VEGETARIANA?

 Utilizamos em nossa clínica:

  1. Uma orientação alimentar anti-inflamatória, anti-alergênica e desintoxicante individualizada baseado nos exames laboratoriais;
  2. Adequação da digestão dos alimentos e da absorção dos nutrientes usando o Programa dos 5Rs;
  3. Fórmulas magistrais chinesas no suporte a digestão;
  4. Fórmulas com vitaminas e minerais, aminoácidos para repor os nutrientes e otimização;
  5. Suplementos tais como ômega 3, cúrcuma, resveratrol, luteolina, quercetina e os específicos para o quadro clínico;
  6. Acupuntura [vide neste site: “Acupuntura: indicações”];
  7. Tratamento psicoterápicopara equilíbrio da mente- EMDR [vide nesse site o artigo: “EMDR- uma psicoterapia revolucionária”] e “Trauma – Como podemos ajudar?”
  8. Adequação do sono (vide artigo nesse site: “Por que nós dormimos?” e “Insônia- como melhorar o sono, o humor e a vitalidade”);
  9. Associada a essa terapia trabalhamos também as questões sobre o sentido e proposito de vida [Vide neste site o artigo: “Uma visão completa e prática do que é ter sentido na vida”]

Agende já sua consulta através do e-mail: clinica.medin88@gmail.com

Deixe uma resposta